Categorias
Agronegócio Imposto

DITR – Prazo de envio começa em 15/8

Os proprietários de imóvel rural em todo o País, bem como os profissionais da Contabilidade de terras, sítios e fazendas, já podem começar a separar a papelada para a entrega da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – DITR 2022, referente ao ano-calendário 2021, visto que o prazo de entrega ao fisco começa em menos de uma semana.

Existem hoje, no Brasil, 5,3 milhões de imóveis rurais ocupando 442 milhões de hectares, segundo informações do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – Incra e do Cadastro Ambiental Rural – CAR.

A Instrução Normativa que rege o tema – nº 2.095/2022 – foi publicada no Diário Oficial da União do dia 26 de julho, com as diretrizes para a apresentação da obrigação que deve ser transmitida por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR – Programa ITR 2022, que estará disponível no site da Receita Federal.

Além deste programa, continuará sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão da declaração. Os contribuintes ainda têm a possibilidade de velar a declaração gravada, em um conector USB, a uma unidade de atendimento da Receita Federal.

Obrigação

Estão obrigadas a apresentar o DITR todas as pessoas físicas e empresas proprietárias, titulares do domínio útil ou que detenham qualquer título do imóvel rural. Apenas os contribuintes imunes ou isentos estão dispensados de entregar o documento. O produtor que perdeu ou transferiu a posse ou o direito de propriedade da terra desde 1º de janeiro também está obrigado a apresentar a declaração.

Quem perder o prazo pagará multa de 1% ao mês sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 50.

A apresentação depois do prazo deve seguir os mesmos procedimentos de envio. A multa é de R$ 50 (mínimo) ou um por cento ao mês-calendário calculado sobre o total do imposto devido.

Imposto

O valor mínimo do imposto é R$ 10,00.

Importante salientar que valores inferiores a R$ 100 devem ser pagos em quota única até o dia 30 de setembro de 2022. Por sua vez, as quantias superiores a R$ 100 podem ser quitadas em até quatro quotas, sendo que cada quota deve ter valor igual ou superior a R$ 50.

A primeira parcela deve ser paga até dia 30 de setembro, já as demais devem ser pagas até o último dia útil de cada mês, e serão acrescidas de juros Selic mais 1%. O pagamento do imposto pode ser antecipado total ou parcialmente. Pode-se ainda ampliar para até quatro o número de quotas do imposto anteriormente previsto mediante apresentação de DITR retificadora antes da data de vencimento da primeira quota a ser alterada, observando o limite mínimo de R$ 50,00 por quota.

A DITR é composta pelo Documento de Informação e Atualização Cadastral do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Diac e pelo Documento de Informação e Apuração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Diat.

O prazo limite da entrega da DITR é 30 de setembro, às 23h59min59s, dia horário de Brasília.

Da Redação do Portal Dedução

 

Fonte: Portal Dedução

Link: http://www.deducao.com.br/index.php/regras-da-ditr-2022-sao-publicadas-no-diario-oficial/

Categorias
Agronegócio

Contabilidade no Agronegócio – Entenda sobre o assunto

O que faz a contabilidade do agronegócio?      

A contabilidade do agronegócio é o resultado de toda a parte da aplicação de técnicas e de controle financeira de uma propriedade rural. É nesse momento que é feito o registro das compras, vendas, recebimentos, pagamentos, fluxo de caixa, impostos, entre outras obrigações.

A análise destes dados traz para o Produtor Rural tudo o que há de errado com a saúde financeira da propriedade. A partir disso é feito o planejamento para a correção do erro e a implementação de mudanças, permitindo que o negócio rural flua com maior eficiência e automaticamente, melhoria da situação financeira.

Posteriormente, o responsável pela análise dos dados contábeis da propriedade rural irá verificar os impactos pós mudanças e o processo é trazido definitivamente para o dia a dia.

É importante ter em mente na hora de fazer a contabilidade ou de contratar um profissional para exercer esse papel que o segmento do agronegócio possui características próprias e exige conhecimentos relativos à contabilidade rural, dessa forma, deve se ter conhecimento também sobre as questões tributárias, ficais, legais e trabalhistas.

Qual a importância da contabilidade para o agronegócio?                            

A contabilidade no agronegócio tem um papel fundamental, principalmente para a saúde financeira da propriedade rural. Além disso, traz para as propriedades um melhor posicionamento de mercado e principalmente métricas conclusivas das estratégias que realmente estão sendo efetivas para o negócio.

Como é feita a contabilidade do produtor rural?          

Para que seja realizada a contabilidade do produtor rural é feito o estudo das terras, equipamentos, fertilizantes, entre outros ativos e passivos como empréstimos bancários, financiamentos e o patrimônio líquido da propriedade rural. Todos esses dados devem ser descritos em uma planilha ou software de gestão agrícola para que, posteriormente, possa ser feita toda a gestão da contabilidade e possa ser verificado os detalhes divergentes.

Dicas para fazer a contabilidade do agronegócio                        

Para que a contabilidade da propriedade rural seja feita de forma que não deixe nenhum detalhe para trás é importante que haja uma dedicação especial e principalmente uma organização quanto as informações que serão lançadas em planilha ou software, por isso registrar todos os detalhes é uma dica bem válida.

Conhecer a sua própria situação financeira é de extrema importância, principalmente para traçar metas e planos de ação, evitando que a saúde financeira da propriedade tenha problemas futuros. Outra dica é separar os custos da propriedade rural dos custos pessoais. A propriedade deve ter o seu próprio fluxo de caixa e para os produtores rurais deve ser estabelecido um pró-labore.

 
Pessoa física

ICMS – Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços:

Como estes produtos são  do setor primário, muitos podem ter o benefício da isenção ou da não incidência, sendo que quando tributado, o produtor é o responsável por recolher quando o produto for vendido para o consumidor final pessoa física ou para outros estados. Quando a venda for para pessoas jurídicas dentro do estado, ficam responsáveis pelo recolhimento na saída do produto oriundo.

 

Imposto de Renda

Os produtos rurais possuem sua operação tributada de dois jeitos: pela diferença entre as receitas e despesas da atividade rural, o lucro, onde soma-se o resultado aos rendimentos tributáveis e após as deduções autorizadas, é aplicado a tabela de cálculo do IR. A outra opção é por arbitramento, onde são tributados apenas 20% da receita bruta da atividade rural, que deve ser somado aos demais rendimentos tributáveis e após as deduções autorizadas aplica-se a tabela do Imposto de Renda.

Outro tributo é o Funrural, o qual hoje é exigido na Pessoa Física e deduz 2,3% sobre o valor bruto da venda da produção rural. Quando a venda ocorrer para pessoas jurídicas, estas são obrigadas ao recolhimento, podendo descontar do produtor rural pessoa física.

Pessoa jurídica

Na pessoa jurídica, os principais tributos inerentes são o Imposto de Renda Pessoa Jurídica, a Contribuição Social sobre Lucro Líquido, Programa de Integração Social, Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, Contribuição Patronal sobre a Venda dos Produtos e o Imposto Territorial Rural.

Como fazer a contabilidade para o agronegócio?                      

A contabilidade da propriedade rural pode ser feita por um profissional da área contábil ou pelo próprio Produtor Rural, lembrando que a contabilidade do agronegócio possui características próprias e exige conhecimentos relativos à contabilidade rural.

 

Fonte: Tentoscap

Link: https://blog.tentoscap.com.br/contabilidade-do-agronegocio/